Insights

Novas conversas: os seis comportamentos

1. Fisicamente distantes, socialmente conectados

Enquanto permanecemos fisicamente distantes das pessoas amadas e de nossos amigos, a verdade é que o distanciamento social nunca existiu - graças a tecnologia nos mantivemos mais socialmente conectados do que nunca. De chamadas no Zoom para participar de festas remotas ou watchparties para assistir lives de shows, nosso modo de socializar se tornou fundamentalmente digital e alguns desses novos hábitos muito provavelmente irão permanecer além da pandemia. 

+10x menção de Lives e watch parties. 

Fonte: Brandwatch | Conversa sobre "watchparties" e "lives" de janeiro a julho 2020 - Puxada em 28/07/2020

Implicações para marcas

 

O que fazer:

 

Se organize para participações. O novo cenário normalizou as interações online. Crie experiências que ao mesmo tempo entretenham e unam as pessoas. 

Acolha a imperfeição. Nós já nos acostumamos a abrir a nossa casa e também entrar na casa de outras pessoas. Um pouco de informalidade e algumas falhas técnicas são perfeitamente normais. 

 

O que não fazer:

 

Contar com a presença física. Mesmo depois que as restrições de isolamento forem suspensas, é esperado que as pessoas permaneçam bastante ansiosas. Considere que todos os eventos físicos precisarão ter um componente digital forte. 

 

2. Explorando a criatividade.

Nós testemunhamos as pessoas recorrendo muito a imaginação e a criatividade durante os últimos meses. Para alguns, elas vieram da necessidade de se virar e manter a cabeça saudável. Para outros, elas surgiram do desejo de entreter pessoas. 

+30% afirmam estar criando mais conteúdo de vídeo para internet durante o isolamento.
+36% no aumento de conversas relacionadas a ajuda e divulgação de trabalho e perfis de pessoas buscando emprego ou complemento de renda através de alguma atividade extra. 

Fonte: Global Web Index, COVID research Wave 5, Brazil 2020 & Brandwatch | Menções sobre "RT para ajudar" e variações, de janeiro a julho 2020

 

Implicações para marcas

O que fazer: 

Parceria com vozes autênticas. Crie parcerias duradouras com criadores que podem te ajudar a contar a sua história — e a deles — com credibilidade. 

Respeite influenciadores e criadores culturais. Trabalhe com criadores de comunidades com as quais você quer se conectar a longo prazo. 

Crie uma plataforma. Pergunte como sua marca pode ajudar a impulsionar mais criatividade e forneça uma plataforma com ferramentas para que isso aconteça. 

O que não fazer:

Usar conteúdo de terceiros sem permissão. Sempre dê crédito e pague criadores de conteúdo de forma justa. Não espere nada de graça e respeite a propriedade intelectual dos conteúdos criados por pessoas.  

 

3. #AsOutrasEpidemias

A saúde mental, as crises econômica e política e a preocupação com a recuperação do país têm sido classificadas como #AsOutrasEpidemias, e possuem efeitos que irão ultrapassar a duração da pandemia de COVID-19. Porém, enquanto a pandemia e suas consequências tiveram efeitos muito negativos para pessoas vulneráveis e trabalhadores da linha de frente, foi possível perceber crescimento e abertura da conversa sobre saúde mental: 

  • Auto-cuidado se tornou uma das prioridades básicas

  • Derrubando estigmas: Pessoas se sentiram mais à vontade para compartilhar e falar abertamente sobre como estavam se sentindo 

 
+41% na conversa diária sobre saúde mental, estresse e auto cuidado desde o início do isolamento. 

Fonte:  Brandwatch | Conversa sobre saúde mental, estresse e autocuidado de janeiro a julho 2020 - Puxada em 28/07/2020 , Global Web Index, COVID research Wave 5, Brazil 2020

 

Além disso, quando analisamos o impacto financeiro, vemos que boa parte das pessoas tiveram suas fontes de renda bastante impactadas, o mesmo tempo que a preocupação com a saúde financeira a longo prazo é algo constante:

 
59% das pessoas se sentem inseguras ou muito inseguras em relação a suas finanças pessoais nos próximos 6 meses 
40% das pessoas tiveram suas horas de trabalho reduzidas 

Fonte: Global Web Index, COVID research Wave 5, Brazil 2020 & Finanças durante o período COVID-10, Maio 2020, Brasil. Por Twitter Marketing Insights & Analytics, baseado em dados do Twitter Insight Survey (TIS) 24/04/2020 a 27/04/2020 [n=560]. Q1: “Como você se sente com relação às suas finanças pessoais nos próximos 6 meses?”

Implicações para marcas

O que fazer:

Cuide de seus funcionários, redes, comunidades e consumidores. Vá além das palavras e tome iniciativas tangíveis e atitudes importantes com políticas de negócio bem definidas. 

Promova e implemente um modo de vida, e trabalho, menos estressante 

O que não fazer:

Se juntar ao bonde da promoção da saúde mental sem estar preparado para atuar na vida real e estabelecer políticas de trabalho que sustentem o seu posicionamento.

 

4. Em busca de um novo ritmo 

Parte das pessoas que têm a opção, e privilégio, de ficar em casa durante a pandemia, tiveram suas rotinas completamente alteradas: suas vidas agitadas sofreram uma parada brusca e se tornaram bem mais lentas. Ao mesmo tempo, por mais que o isolamento não tenha sido planejado ou desejado espontaneamente, muitas pessoas passaram a apreciar esse ritmo mais lento e Tweetaram a intenção de permanecer em rotinas menos frenéticas no futuro. 

  • Desfrutando de coisas mundanas: Nós vimos o aumento dos Tweets declarando a apreciação das coisas simples da vida como o nascer do sol e a natureza.
  • Recorrendo ao analógico: Com as telas ainda ditando o modo como vivemos e trabalhamos, o número de pessoas praticando atividades analógicas como jardinagem, culinária e leitura, entre outros, aumentou.
  • Encontro do introvertido dentro de todos nós: O isolamento fez com que mais pessoas refletissem sobre suas vidas sociais abarrotadas de compromissos pessoais e profissionais, e muitos estão repensando a forma com que gostariam de socializar e investir seu tempo no futuro 
+46% de menções relacionadas aos pequenos prazeres da vida.

Source: Brandwatch | Menções a "pequenos prazeres" ou "prazeres simples" de janeiro a julho 2020 - Puxada em 28/07/2020

Implicações para marcas

O que fazer:

Incentive a desaceleração. Pergunte-se como você pode acolher esse momento e criar um ambiente de trabalho mais saudável e empático.

Reflita sobre sua contribuição. Considere o efeito do seu estilo de comunicação. Você está contribuindo para um ritmo frenético e insustentável?

O que não fazer:

Ignorar os introvertidos. Nossos negócios tendem a focar nas personalidades e desejos dos mais extrovertidos, mas com o FOMO (Fear of Missing Out) sendo substituído pelo JOMO (Joy Of Missing Out), como você pode se conectar e conversar com o introvertido que existe em todos nós?

 

5. Carrossel de Emoções 

O isolamento pesou para a maioria de nós, nos impactando fisicamente e emocionalmente. Nós estamos experimentando emoções intensas e oscilantes no nosso dia a dia. A expectativa é que essa oscilação se mantenha alta até que a situação esteja completamente sob controle.

Top 7 emojis mais usados durante o isolamento 

                +411%

                +334%

                +195%

                +129%

🥺                +96%

                +95%

                +68%

 

Implicações para marcas
O que fazer:

Seja humano. Mantenha seu tom de voz em constante evolução. Três coisas que as pessoas esperam nesse momento: 

  • 48% acham que as marcas devem ser informativas 
  • 41% acham que marcas devem aderir a um tom empático
  • 35% acham que as marcas devem se manter positivas

Ouça e se adapte. Observe o ambiente e se adapte de acordo. 

O que não fazer:

Ter memória curta. Evite demonstrar empatia só em tempos especialmente difíceis. Consistência é importante,

6. Consumo contraditório

O comportamento ético das pessoas sempre foi complexo e, muitas vezes, contraditório. O COVID-19 deixou as coisas ainda mais extremas e confusas. Nós estamos mais pragmáticos e, ao mesmo tempo que, nossas prioridades mudaram, nossas expectativas ainda são bem altas em relação a nós mesmos, figuras públicas e marcas.

Pragmatismo

Apoiar negócios locais é "a coisa certa a se fazer", mas também estamos comprando da Amazon e outros mega varejistas como nunca antes. 

Responsabilidade

Se responsabilizar pelas atitudes, decisões e falas está mais importante do que nunca e tanto pessoas quanto marcas estão sendo monitoradas com mais atenção.

Prioridades conflitantes 

As conversas sobre mudança climática cairam. A ameaça do vírus fez com que muito de nós aceitassem melhor o uso de plástico descartável em luvas ou copos, por exemplo.

+311K Tweets apoiando o Breque dos Apps
42% das pessoas dizem ter aumentado o uso de aplicativos de delivery de comida durante a pandemia e que pretendem manter o hábito depois do isolamento 

Fonte: Global Web Index, COVID research Wave 4, Brazil 2020 & Twitter Internal Data

Implicações para as marcas

O que fazer:

Se responsabilize pelas próprias atitudes. Pratique o que prega e acolha a confusão. Aceite a imperfeição, é OK cometer erros desde que eles não se tornem uma reincidência auto indulgente. 

Torne o seu propósito mais pessoal e direcionado para seu principal grupo de consumidores. Evite generalizações sobre como grandes grupos de pessoas estão se sentindo, ou se comportando, em relação a temas específicos.

Esteja consciente do pragmatismo. Produto, preço e conveniência se tornam cada vez mais importantes à medida que nossos mundos se tornam mais limitados; propósito sem ação não muda muito as coisas.

O que não fazer:

Ser inconsistente. Evite começar algo que você não tem a intenção de se comprometer a longo prazo. 

Ignorar conversas difíceis por conta de um passado imperfeito.

Conclusão

O futuro é incerto, mas o presente é bem nítido. Todos nós estamos passando por uma experiência compartilhada que contém uma grande quantidade de momentos sombrios.

Esse é um momento raro em que marcas se redefinem e se reinventam, e decidem qual o papel que querem ter na vida das pessoas. Isso vai além de entender a melhor forma de se conectar com as pessoas, mas também é um momento para se organizar e causar impactos positivos.

Leia a primeira parte deste artigo: 
September 08, 2020
Tags
  • Insights de público
  • Pesquisa
  • B2B
  • Brasil
  • History In the Tweeting

Related Content